Fluxo de caixa

O Fluxo de Caixa e sua relevância

*Por Diercio Ferreira

O demonstrativo de Fluxo de Caixa pode ser o demonstrativo financeiro mais importante que você organiza.

A organização do Fluxo de caixa é um dos temas mais relevantes quando se trata de Finanças Empresariais.

Muitas vezes a empresa tem um bom produto, um processo produtivo inovador, a melhor tecnologia, uma equipe motivada, e simplesmente quebra. Quais seriam os motivos de uma eventual quebradeira?

Em Setembro de 2012, o SEBRAE-SP realizou uma enquete com objetivo de identificar as causas de mortalidade empresarial e contatou que 27% das empresas Paulistas quebram num período inferior a 1 (um) ano e apenas 42% dos novos negócios tem uma sobrevida superior a cinco anos.

Os Principais motivos alegados pelos empreendedores são para justificar a mortandade empresarial são os que se seguem:

a) Ausência de clientes (18%),
b) Ausência de capital (10%),
c) Ineficiência no planejamento e na administração (10%),
d) Perda do cliente exclusivo (9%),
e) Dificuldades com sócios (8%),
f) Altos Custos (7%),
g) Problemas particulares (7%) e
h) Ausência de lucro (7%).

De imediato identificamos que um dos problemas relacionados com um bom gerenciamento do fluxo de caixa das empresas está no topo do ranking da quebradeira: Ausência de Capital (10%). Outros indiretamente relacionados são a ausência de lucro (7%) e os altos custos (7%).

O resumo da ópera é que se uma empresa estiver com problemas de capital de giro em seis meses pode trincar e rapidamente caminhar para a falência.

O Demonstrativo de fluxos de caixa é relevante para o seu empreendimento, porque ele pode ser usada para avaliar o prazo, o montante e a previsibilidade dos futuros fluxos de caixa e pode servir de base para a formatação do orçamento.

O demonstrativo dos fluxos de caixa deve responder às perguntas: “De onde o dinheiro vem?” e “Para onde o dinheiro vai”?

Ausência de controle financeiros eficazes, falta de recursos para quitar fornecedores, descasamento entre os prazos médios de recebimentos e de pagamentos, vender em prazo mais longo do que consegue barganhar prazos de pagamento com forneceres, são mais comuns do que imaginamos na vida das empresas.

Com o mercado mais agressivo e competitivo e num cenário de recessão, torna-se mais impositivo um gerenciamento financeiro de alto nível e o uso de ferramentas de suporte para direcionar o negócio. O bom gerenciamento do Fluxo de Caixa é uma destas ferramentas.

O fluxo de caixa e sua relevância para a gestão financeira.

A construção de uma demonstração de fluxos de caixa para o seu negócio. A demonstração dos fluxos de caixa é uma demonstração financeira complexa e por necessidade, este artigo irá ajudar-lhe a navegar neste conteúdo sem
traumas.

O que é um demonstrativo de fluxo de caixa?

Para o seu negócio, um demonstrativo de fluxo de caixa pode ser a demonstração financeira mais importante que você organiza. Ele traça o fluxo de valores financeiros (ou capital de giro) dentro e fora de seu negócio durante um período temporal especifico.

Para uma pequena empresa, uma demonstração de fluxos de caixa provavelmente deve ser preparada o mais breve e frequentemente quanto for possível. Isto significa mensal ou na pior das hipóteses trimestral. Um demonstrativo anual é uma obrigação para qualquer negócio.

O objetivo fundamental do fluxo de caixa é subsidiar com os detalhes sobre pagamentos e recebimentos de um negócio em regime de caixa, ou seja, quando efetivamente houve entrada e/ou saídas de dinheiro do caixa da companhia.

Este demonstrativo é complementar aos demonstrativos de resultados e o balanço patrimonial. É importante notar que fluxo de caixa não é a mesma coisa lucro líquido. O fluxo de caixa é a movimentação de dinheiro que efetivamente entra e sai do caixa de sua empresa.

Passo a passo para construir o demonstrativo de fluxo de Caixa

a) Com o suporte de uma planilha, registre todas as entradas e saídas do caixa da empresa em certo período de tempo. Este período pode ser diário, semanal ou mensal. Lembre-se que se trata de um regime de Caixa, cuja contabilização ocorre com a efetiva entrada ou saída de numerário do caixa da empresa.

b) Para cada coluna deve ser calculado o fluxo de caixa, que pode ser positivo ou negativo.

c) Projete o fluxo de caixa futuro, registrando as entradas e saídas dos próximos períodos. Como exemplo o recebimento de duplicatas, de cartões, o pagamento de tributos e salários, etc.

Modelo de construção do Fluxo de Caixa

Tabela 1

Descrição Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4
1- Faturamento 77.520,00 85.231,00 95.325,00 96.330,00
2- Receitas 80.000,00 82.500,00 89.100,00 95.000,00
3- Despesas Variáveis 35.600,00 34.320,00 69.000,00 40.500,00
4 – Despesas Fixas 33.000,00 33.000,00 33.000,00 33.000,00
5 – Resultado (2 –3– 4) 11.400,00 15.180,00 -12.900,00 21.500,00

Fonte: Adaptado pelo Autor

Alertarmos que o Faturamento mensal será o que foi vendido dentro do mês e que nem sempre será igual às Receitas em função das vendas parceladas.

Identificando-se intervalos em que ocorrerá falta de caixa ou que existirá um fluxo de caixa deficitário, a exemplo do terceiro mês em nosso exemplo, indica que sua empresa necessitará imediatamente de Capital de giro para bancar este descasamento.

A aquisição de Capital de giro pode ser feita por desconto bancário, novos investidores, “queimão de estoque”, venda de equipamento ou a venda de um ativo imobilizado com a consequente operação casada de um leasing do mesmo bem, aporte dos sócios, ou financiamento bancários a taxas competitivas e/ou outras operações assemelhadas.

Acontecendo um fluxo de caixa superavitário sinaliza que a empresa poderá fazer investimentos.

Caso sua empresa esteja em dúvidas quanto ao fluxo de caixa, a busca de ajuda por meio da contratação de um profissional especializado pode ser uma solução interessante.

Para mais informações sobre fluxo de caixa, por favor contate-nos .

Ou para maiores informações sobre economia, gestão e finanças, por favor visite nosso portal Peritia Econômica.

3 Comentários


  1. Prezado, boa tarde.

    Artigo muito rico sobre o fluxo de caixa! Muitas PME’s acham que o “fluxo de caixa” é quanto vende, e se enganam, se preparam (e acreditam) para receber um valor, que estão bem de saúde financeira, mas na realidade o cliente é um mau pagador, teve uma despesa a mais e etc.

    Eu participo de uma start-up que está desenvolvendo um Programa Financeiro Empresarial o inFinance (http://www.infinance.com.br/) e gostaria de convidá-lo a experimentar nosso software que irá ajudá-lo a profissionalizar o controle e facilitará o extrato de relatórios de resultados.

    Seu feedback seria muito importante para nosso desenvolvimento.

    Conto com seu apoio.

    Responder

    1. Estimado Gustavo. Fico Feliz com o desenvolvimento de sua Start up. Desejamos sucesso nesta sua jornada e testarei o aplicativo para verificar como podemos contribuir. Abs. Diercio Ferreira.

      Responder

  2. Se uma pessoa de fora da organizacao analisasse o fluxo de caixa do nosso exemplo, provavelmente acharia que a empresa teve resultado negativo por cinco meses e depois um resultado incrivel no sexto mes. Tambem pode acontecer o contrario, onde um cliente pode ter pagado o total a vista, e os gestores acharem que estao com muito caixa, sem visualizarem que precisam desse dinheiro para manter as operacoes por mais um semestre.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *